27 novembro 2011

Uma análise Real: Super Mario 3D Land

Quem não se lembra de quando, no começo do ano, fomos apresentados às primeiras imagens do próximo game de plataforma da série Super Mario principal? Com aquele simples, porém excitante quarteto de screenshots que ilustrava o plano de fundo do inesperado anúncio de Satoru Iwata, presidente executivo da Nintendo original do Japão, sentimos entusiasmo e ansiedade o suficiente para nos fazer roer as unhas durante uma boa porção do ano de 2011. Desde a revelação do logotipo do game, que trazia a sombra de um rabo de guaxinim ao lado da letra "O", nós já pressentíamos que o game — na época conhecido apenas como "Super Mario" — seria uma viagem ao passado.



A referência ao Tanooki Suit e ao esquema de título do saudosíssimo Super Mario Bros. 3 (NES) foi clarividente. Quando Shigeru Miyamoto afirmou que o rabo de guaxinim é exatamente o que pensamos que fosse, a curiosidade dos fãs, dos jogadores de 3DS e da mídia de games em geral só teve a enrobustecer ao longo das semanas. E Super Mario 3D Land — batizado em homenagem aos games mais antigos da série Mario — também é exatamente o que parece ser: uma rajada de nostalgia provocada pela coleção dos elementos mais clássicos do Marioverso, com referências tão ousadas que vão longe o bastante para alcançar os arcades. Você confere informações, curiosidades, prós e contras da mais nova aventura do encanador extraordinário logo a seguir.

Uma Nova Profundidade

Plataforma com séria profundidade! Com os visuais em 3D de Super Mario 3D Land, os jogadores podem ver exatamente onde estão os Blocos "?" voadores e os Paragoombas, para que eles possam pular e esmagar com a precisão dos profissionais. Os jogadores especialistas vão apreciar o modo com os gráficos 3D revelam o verdadeiro desafio das fases, para que possam se focar em executar o pulo perfeito ou a cortar preciosos segundos de seus speed runs, enquanto novos jogadores descobrirão que o 3D cria uma plataforma simples de compreender e satisfatória de se dominar.

— Descrição de Super Mario 3D Land no Nintendo eShop

Mais do que simplesmente um jogo, Super Mario 3D Land é um conceito interessante. Ainda que siga as veias dos games tridimensionais do Mario, como Super Mario 64 e Super Mario Galaxy, Super Mario 3D Land segue um estilo intimamente baseado nos jogos em 2D, tornando-o uma amálgama entre as características. Como já foi denotado pelo presidente da Nintendo of America Reggie Fils-Aime na E3 2011, Super Mario 3D Land é a primeiríssima plataforma 3D do Mario a ser produzida do zero para um console portátil. O desenvolvimento do jogo ficou por conta da subdivisão Nintendo EAD Tokyo, a mesma responsável pela criação de Super Mario Galaxy e Super Mario Galaxy 2; deste modo, a jogabilidade nos remete a alguns movimentos do encanador em suas aventuras pelo espaço sideral, mas segue à risca o que era feito nos velhos tempos: o game abre mão de mundos centrais (hub worlds), fases gigantecas e do completamento após coletar um item (como Power Stars ou Shine Sprites), para abraçar o esquema de mapas representativos, checkpoints intermediários, bandeiras objetivas, Power-Ups clássicos e uma geografia que, apesar de totalmente livre, é bastante linear.


Por Dentro da História

Narra a história que, próximo ao castelo da Princesa Peach, há uma árvore a qual chamam de Tail Tree; sua anatomia possui como traço notório um caule lenhoso, cilíndrico, que segue o formato de uma cauda de guaxinim. É ela a geradora das Super Folhas encontradas no jogo e, provavelmente, a fonte de todas encontradas ao longo da extensa série Mario. A revelação das origens da Super Folha demorou 23 anos para acontecer, desde 1988 — quando o item estreou no Japão em Super Mario Bros. 3. Você pode não estar, mas todos os habitantes do Reino do Cogumelo já parecem estar familiarizados com a árvore. Certa noite, porém, uma fortíssima tempestade de vento soprou absolutamente todas as Super folhas, espalhando-as por vários pontos diferentes do Mundo do Cogumelo. Pela manhã, durante uma inspeção para ver se havia acontecido algo com a árvore, a Princesa Peach foi sequestrada por Bowser.

Em seguida, o intrépido encanador, na companhia de três Toads, descobre os recentes infortúnios. O Toad amarelo nota uma carta com asas pairando na área próxima à Tail Tree, e os quatro decidem investigar. Ao abrir o envelope, entretanto, eles vêem a imagem de Bowser mantendo a Princesa Peach cativa enquanto algumas Super Folhas voam pelo plano de fundo. Mario entra em desespero novamente, e corre ao salvamento de sua princesa. Ao longo da aventura, Mario ganha mais cartas; todas elas, desde a primeira, trazem um cartão interativo cujas figuras podem se mover, balançar e ser inclinadas de acordo com o movimento correspondente do 3DS, como o sensor giroscópico do sistema. Algumas até mesmo revelarão segredos escondidos na carta, como, por exemplo a figura ao lado, em que Peach sonha acordada com seu encanador favorito. Se você chacoalhar o 3DS nessa cena, Mario pulará; no plano de fundo, vários Goombas também podem aparecer. Se continuar fazendo isso — a surpresa! —, Luigi também aparecerá, dando um salto de costas. O encanador verde pode assumir a aventura assim que Mario o resgatar de uma épica e imprevista batalha contra as hordas do mal.


De Olho na Jogabilidade

Uma das coisas que percebemos mais claramente em Super Mario 3D Land foi em como as fases estão lineares e compactas — especialmente quando comparadas com um ambiente dos demais títulos 3D do Mario — e, como já citamos, continua seguindo a linha dos games em 2D. Às vezes, a impressão que predomina é a de que a câmera de New Super Mario Bros. Wii mudou de posição — mas continuamos controlando o encanador num ambiente tridimensionalmente livre. Tome cuidado: existe grande chance de seu personagem cair pelas laterais de uma ponte se, enquanto você estiver atravessando-a, mantiver o pensamento fantasma de que o jogo é em 2D.

Por serem um dos principais truques para explorar o 3D estereoscópico do Nintendo 3DS, existem muitos blocos no jogo, especialmente quando comparado aos títulos maiores do Mario em 3D — que tinham poucos blocos, encontrados ocasionalmente. Também descobrimos um número considerável de blocos invisíveis localizados em áreas vazias como cantos, fileiras de tijolos e nas dicas sutilmente dadas pelo posicionamento de algumas moedas. Também para reforçar o efeito, a direção de várias plataformas, itens e inimigos foi alterada. Por exemplo, Bullet Bills agora são disparados para frente, em direção à câmera, para obter o melhor da profundidade. Um efeito do jogo que segue e domina essa técnica de forma ímpar foi o adicionado às torres de espinho, que, a exemplo de New Super Mario Bros. Wii, continuam se movendo violentamente na direção horizontal — embora sua direção tenha sido alterada para frente, fazendo o jogador acreditar subconscientemente que sua cabeça pode sofrer sérios ferimentos a qualquer momento!

Cada fase possui três Star Medals para coletar. Com design similar às Comet Medals (Super Mario Galaxy) mas de função idêntica às Star Coins (New Super Mario Bros.), esses itens podem ser usados em conjunto ao longo do mapa para destravar novos mundos e características. Notamos que coletar o trio de Star Medals de cada fase não foi lá o bicho de sete cabeças — mas um desafio à altura de qualquer jogador mediano de Super Mario.

Como todos os games da série Mario, os mundos consistem de fases abertas, cavernosas, celestes, suabaquáticas, glaciais, desérticas e muitas, muitas áreas montanhosas (para usar e abusar do visual em 3D). Castelos, navios aéreos (airships) e fases magmáticas também marcam retorno na aventura.

A fase World 5-2 de Super Mario 3D Land foi feita em homenagem à série The Legend of Zelda, que completou 25 anos durante seu desenvolvimento. Nela, a câmera é posicionada como nos games de Zelda, o ambiente é um dungeon e, quando novas portas são abertas, é reproduzido o som que ouvimos quando descobrimos segredos nas aventuras de Link. Infelizmente — ou não —, não há nada além disso, tornando a referência em algo bem sutil.

Nascidos nas missões Speedy Comet de Super Mario Galaxy 2, os +Clocks (ou Plus Clocks, como preferir) são relógios espalhados por várias fases de Super Mario 3D Land; sua meta é preencher novamente o timer para que o jogador tenha mais tempo de finalizar as fases. Os relógios verdes recolocarão 100 segundos perdidos no contador de tempo, enquanto os azuis darão apenas 10 segundos e são espalhados aos montes nas fases mais intrincadas do mundo especial de Super Mario 3D Land.

Mario pode usar as intituladas Mystery Boxes para participar de vários desafios diferentes a serem completados num curto período de tempo, geralmente envolvendo a derrota de um número determinado de inimigos dentro das caixas. É possível ganhar moedas, Cogumelos Mario Extra ou até mesmo uma Star Medal, então fique atento se quiser coletar todas! Por meio da função StreetPass do Nintendo 3DS, também é possível enviar Mystery Boxes para os jogadores. A funcionalidade, inclusive, também tem um papel importante nas Toad Houses do game: quanto mais você usar o StreetPass, mais itens serão automaticamente transferidos para seu jogo.

As Habilidades de Mario


Apesar de ser um game fortemente inspirado pelas raízes 2D, Mario tem uma série de movimentos emprestados diretamente dos jogos em 3D. Em Super Mario 3D Land, o encanador pode dar Wall Jumps, Ground Pounds, Long Jumps e Backwards Somersaults. O sistema de saúde do Mario, também inédito num título 3D, é baseado no aumento e decréscimo de tamanho: ao tomar danos, o Mario regular (chamado antigamente de Super Mario) se transforma no Small Mario, a versão diminuta de si mesmo. A grande novidade na mecânica do baixinho de bigode é que agora ele também pode rolar para derrotar inimigos e figuras de madeira.


Quero Ser Tanooki

Como já era de se esperar, Mario pode assumir a forma de Tanooki ao pegar uma Super Folha. Nesse estado, ele pode desferir rabadas em seus inimigos e flutuar pelo ar por meio de um flutter envolvendo o balançar de sua cauda. Diferente de Super Mario Bros. 3, o Tanooki Mario não pode mais voar, mas acredite: depois de desbravar o game, você percebe que essa remoção não faz mais tanta diferença e que a habilidade de voo poderia até mesmo atrapalhar a jogabilidade, pois a geografia é lotada de precipícios. A forma de estátua também foi preservada, mas não do mesmo modo que antigamente: agora, você deverá atravessar 8 mundos para conseguir uma Folha de Estátua — um objeto de coloração rochosa — que transformará os encanadores em Tanooki Mario com lenço vermelho ou verde (dependendo de qual irmão você escolher na aventura). O mesmo movimento do Ground Pound transforma os guaxinins em estátuas, que podem quebrar blocos e outros objetos específicos e ainda distrair os inimigos mais cabeça-de-vento.

Depois de perder cinco vidas numa fase, o jogador pode desistir de tentar e receber ajuda de um Assist Block contendo uma Folha de Invencibilidade. O item é uma mistura entre a Super Folha e a Super Estrela, o que transforma Mario em White Tanooki Mario — uma forma branca, reluzente, com detalhes dourados e simplesmente imbatível. O herói só voltará a ser o Tanooki regular assim que passar a fase, mas não pense que é possível acumular vidas por combos sobre inimigos derrotados, como acontece com a Super Estrela!

É interessante notar que o Tanooki Luigi tem a coloração variante à de Tanooki Mario. Ao invés do marrom escuro usado pelo encanador vermelho quando está nessa forma, Tanooki Luigi tem cor de mel e um detalhe na cauda, fazendo-o parecer mais com uma raposa-vermelha japonesa (especialmente a usada na lenda de kitsune) do que um cão-guaxinim (o nome português dos tanookis). Vale notar que, na Espanha, o Luigi com a Super Folha é chamado de Kitsune Luigi ao invés do tradicional Tanooki Luigi.

Quando em posse da Boomerang Flower, Mario também pode se transformar no chamado Boomerang Mario e usar o feitiço contra o feiticeiro — ou melhor, o bumerangue contra os Boomerang Bros. numa empreitada para destruir inimigos à distância, coletar itens aparentemente inalcançáveis e ainda executar combos aproveitando-se do vai-e-vem da arma de arremesso. Como não deve faltar nas aventuras do bigodudo, a Flor de Fogo também retorna. Diferente de seu uso em Super Mario Galaxy, agora não há tempo-limite para a posse do Power-Up.

Há também um Bloco "?" secreto dentro do qual Mario se enfia. Ao usar esse bloco precioso, o encanador extraordinário ganha uma moeda a cada pequeno movimento, desde os pulos até o caminhar. É sorte grande até o fim da fase. Também devemos notar o Propeller Block, que causa um efeito similar ao Propeller Mario de New Super Mario Bros. Wii — lançando os personagens às alturas do Mundo do Cogumelo.

Um dos itens mais clássicos e, ao mesmo tempo, mais indesejáveis do Marioverso que retornou triunfantemente em Super Mario 3D Land foi o Poison Mushroom — o cogumelo venenoso de Super Mario Bros.: The Lost Levels (NES), que, ao contrário do que se espera de um Super Cogumelo, causará danos ao encanador. O Poison Mushroom até mesmo perseguirá o herói, tentando arruinar sua vida de qualquer jeito!


No Rabo dos Inimigos

Os inimigos do jogo são, no geral, relacionados à profundidade do game ou a rabos de guaxinim. Um grande exemplo são os Goombas: agora os pequenos oponentes se empilham uns sobre os outros para criar uma "torre de Goombas" e dificultar a jornada dos heróis; o maior objetivo do Power-Up, no entanto, é ganhar uma Vida Extra a partir de um Ground Pound bem calculado e de simplesmente causar o efeito de profundidade estereoscópica quando a câmera estiver posicionada corretamente. Goombas também podem estar em posse da Super Folha e atacar saltando ou dando rabadas, assim como vários outros inimigos a quem também foi dado o super poder — como Bullet Bills, Boos, Blocos, Bob-Ombs, e, o mais inútil de todos, Thwomps, que agora planam bem devagarzinho para baixo ao invés da queda violenta que sempre adotaram como tática.

Veja uma lista com os inimigos apresentados em Super Mario 3D Land:
  • Biddybuds, que lembram joaninhas multicoloridas e andam sempre em bando. Também há a subespécie Para-Biddybud.
  • Blokkabloks, cujo corpo espinhoso é composto por blocos e tijolos.
  • Draglets, dragõezinhos azuis que cospem fogo (e nos lembram muito dos Eeries e Rexes de Super Mario World para SNES).
  • Fake Blocks, blocos com cara de mau e rabo de Tanooki.
  • Flophoppers, espécie de inseto baseada nos Swaphoppers de Super Mario Galaxy 2.
  • Inky Piranha Plants, Plantas Piranha pretas com a capacidade de cuspir tinta na tela (produzindo um fantástico efeito de sobreposição no 3DS).
  • Peepas, os novos fantasmas, pequenos, de olhos pretos, pupilas brancas e cujo sorriso, permanente, exibe dois dentes quadrados. Normalmente se movem em círculos, mas podem ser destruídos pelo poder da Super Estrela.
  • Prongos, inimigos envoltos numa caixa metálica azul; atacam com o espinho no topo da cabeça, mas ficam fincados no chão de pernas para o ar quando seu golpe dá errado.
  • Sandmaarghs parecem com Magmaarghs, mas são ativos na areia. Podem ser avistados pelo jogador na forma de uma sombra e atacam assim que chegam por sob o Mario.
  • Spike Eels, enguias gigantes com espinhos.
  • Stingbies, os novos oponentes abelhudos do jogo.
  • Wallops, Whomps brincalhões que acabam atrapalhando o caminho do Mario ao imitarem seus movimentos.


Oponentes clássicos também retornam, como Banzai Bills, Magikoopas, Pokeys, Porcu-Puffers, Rocky Wrenches, entre outros. A que mais nos chamou a atenção foram as toupeiras Monty — Monty Moles e Mega Moles —, que voltaram a ser distribuídas por estreitros labirintos cavernosos, mas cuja mecânica foi alterada; agora, ao pular sobre uma Mega Mole, ela diminuirá o tamanho e se tornará mais rápida. Se você é um jogador das antigas, se lembrará do Rex de Super Mario World.

O guardião das fortalezas de Super Mario Bros. 3, Boom Boom, faz sua triunfal estreia nessa nova plataforma. Sua mecânica mudou: agora, o marrudo tenta te atacar girando os braços, mas sempre acaba ficando tonto no processo. O perigo mesmo é a fêmea do Boom Boom — a Pom Pom, que ataca os heróis arremessando bumerangues e tem um padrão de ataque muito mais perigoso que sua contraparte masculina. Também neste jogo False Bowsers retornam; para quem ainda não sabe, eles eram usados em Super Mario Bros. e Super Mario Bros.: The Lost Levels. O Bowser original aparece apenas uma vez em ambos os jogos.


Veredito

Super Mario 3D Land não falha em fazer as mais preciosas referências aos jogos antigos do encanador. Os visuais realmente impressionam, e pode-se ver que o game foi construído no intuito de mostrar tudo o que o 3D pode fazer; a profundidade pode ser muito bem visualizada nas fases em que é necessário se lançar a uma altura gigantesca para prosseguir. Desde os dentes-de-leão se despedançando em frente à câmera até o efeito das gotas da chuva, o gráfico não decepciona. Em jogabilidade, Super Mario 3D Land é bastante funcional, prático e fácil.

Todo mundo sabe como é o 3DS: se você se empolgar muito e mover o sistema ligeiramente para o lado, já passará a ver fantasmas, pois a visualização não funcionará como deveria. É necessário estar imóvel e na posição exata para continuar desfrutando de todo o visual em 3D, mas tenho certeza de que a simplicidade do jogo e a praticidade para atravessar os mundos o faz compensar. Com a visualização 3D desligada, a experiência também continua sendo agradável e fácil de se adaptar.

Super Mario 3D Land tem sua própria música. No game, há aproximadamente uma meia-dúzia de versões dessa canção remixada (uma favorita da equipe é a do World 7-4, o tema da torre do relógio), enquanto outras foram compostas a partir do zero e também não deixam de satisfazer a audição. Temos certeza de que o game é capaz de render uma experiência sonora incrível, reforçada pelos segredos escondidos no áudio — como a reutilização do som original de conclusão de fase em Super Mario World e do grito do encanador ao cair de grandes alturas em Super Mario 64 (ambas as referências foram feitas apenas uma vez). Algumas músicas foram recicladas de Super Mario Galaxy e New Super Mario Bros. Wii.

A questão que levantamos é a seguinte: era mesmo necessário o uso de tantas fases nas alturas? Há principícios infinitos nas bordas de praticamente todas as fases do jogo. Porém, isso não impede de forma alguma a fluência do game e a diversão proporcionada ao decorrer das fases e extras. Super Mario 3D Land é um item necessário na coleção de qualquer usuário do Nintendo 3DS.

REFERÊNCIAS:

Ir para cima
↑ Nintendo  - reinodocogumelo.com │ ↑ Super Mario - reinodocogumelo.com

Um webmaster amante das tecnologias, criador de conteúdo para a web e idealizador do Informe Tecnológico 2cmultimidia.com (site voltado às tendências de tecnologias), onde compartilha experiências com seus web leitores.

Por favor leia antes de comentar:

1. Escreva apenas o que for referente ao tema;
2. Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
3. Para entrar em contato acesse formulário de contato.
EmoticonEmoticon