22 agosto 2010

Fabricantes de videogames apostam na tecnologia 3D

Segundo Hirai, os videogames são mais fáceis de desenvolver em três dimensões do que os filmes, uma vez que tudo é feito em computador.
 
Os fabricantes de videogames adotaram a revolução tridimensional, acompanhando uma tendência crescente nos estúdios de Hollywood, para o desenvolvimento de uma nova geração de produtos. Uma estratégia considerada arriscada, uma vez que poucas residências estão equipadas com a nova tecnologia.

Na feira Gamescom, a mais importante da Europa dedicada a jogos interativos e de entretenimento, aberta na cidade de Colônia (oeste da Alemanha), líderes do mercado apresentarão, até domingo, seus novos produtos e a incorporação da animação em 3D em suas criações.

A gigante japonesa Sony, por exemplo, já trouxe novidades, como um game que simula dirigir um veículo de rally em um cenário tridimensional ou outro em que o jogador tem a sensação de que uma bola de tênis virtual se aproxima dele.

"Estamos muito ativos (neste segmento) e já propusemos uma grande quantidade de produtos ao mercado", explicou Kazuo Hirai, chefe da divisão de entretenimento da Sony, ao mencionar o cada vez mais importante nicho deste mercado bilionário.

"A quantidade de unidades (receptoras desta tecnologia) precisa aumentar. Para isso, temos que desenvolver videogames, programas de televisão em 3D, filmes em 3D na versão Blue-Ray", emendou Hirai, cujo grupo tem um interesse especial no desenvolvimento destas tecnologias, já que é o principal fabricante de telas compatíveis.

A Sony espera que 10% das vendas de televisores este ano sejam de aparelhos compatíveis para a animação tridimensional e desenvolve tecnologia tridimensional que prescinda de óculos especiais.

Segundo Hirai, os videogames são mais fáceis de desenvolver em três dimensões do que os filmes, uma vez que tudo é feito em computador.

Mas nem todos os atores do setor partilham o mesmo entusiasmo da Sony por causa do custo das TVs compatíveis e da necessidade de óculos.

A japonesa Nintendo optou por desenvolver sua própria tecnologia e está construindo uma nova interface portátil própria, a 3DS, capaz de reproduzir imagens tridimensionais sem o suporte dos úculos.

No entanto, os jogos em 3D têm um custo 20% superior aos tradicionais, explicou Olivier Wolf, vice-presidente da divisão de games e entretenimento dos estúdios Warner Bros..

Apesar disso, o desenvolvimento de animação tridimensional também está no centro "da estratégia" da Warner Bros., afirmou Wolf, reconhecendo que "o mercado demorará ainda dois ou três anos para se lançar".

Segundo ele, a prioridade é o desenvolvimento de jogos de corridas e de lutas, nos quais as imagens tridimensionais são mais impressionantes.
Fonte: Folha

Um webmaster amante das tecnologias, criador de conteúdo para a web e idealizador do Informe Tecnológico 2cmultimidia.com (site voltado às tendências de tecnologias), onde compartilha experiências com seus web leitores.

Por favor leia antes de comentar:

1. Escreva apenas o que for referente ao tema;
2. Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
3. Para entrar em contato acesse formulário de contato.
EmoticonEmoticon